NOTÍCIAS

11/06/2021 15:13:49

TERESINA ANUNCIA VACINAÇÃO PARA OFICIAIS DE JUSTIÇA A PARTIR DA PRÓXIMA SEMANA


O prefeito de Teresina (PI), Doutor Pessoa, anunciou, nesta sexta-feira (11), a vacinação de Oficiais de Justiça, entre outras categorias, a partir da próxima semana.

Segundo o presidente da Fundação Municipal de Saúde, Gilberto Albuquerque, o cronograma foi ajustado de acordo com a nova resolução da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), que estabeleceu porcentagens dos lotes de doses recebidos para diferentes grupos. Destes, 20% foram destinados ao Conselho Municipal de Saúde, que por sua vez estabeleceu as categorias que serão atendidas de acordo com a ordem de risco de contaminação e transmissibilidade. “Às 18h de hoje, o sistema será aberto para agendamento de jornalistas, Oficiais de Justiça e conselheiros municipais de saúde”, explica.

Para ter direito à vacina, o Oficial de Justiça deverá apresentar documento que comprove a função.

De acordo com a Prefeitura de Teresina, além dos Oficiais de Justiça, jornalistas e conselheiros de saúde, os garis e pessoas com comorbidades seguem no grupo prioritário para a imunização na próxima semana.

A Fenassojaf avalia que a efetividade da vacinação para os Oficiais de Justiça em Teresina é o primeiro grande passo para que todo o oficialato brasileiro seja incluído entre as prioridades. “Teresina dá exemplo de reconhecimento sobre o risco a que os Oficiais de Justiça permanecem expostos. E esse é um precedente que precisa ser seguido em todo o país”, enfatiza o presidente Neemias Ramos Freire.

A diretora Mariana Liria reforça a importância da medida para os Oficiais de Justiça. “Já está mais do que comprovada a exposição exacerbada do oficialato. Temos lutado desde o ano passado, em conjunto com os colegas estaduais, pela priorização na vacina e o que podemos perceber é que os esforços de nossas entidades representativas começam a gerar resultados a partir da imunização em Teresina, o que nos dá esperança para que a medida seja implementada em todo o Brasil”, finaliza.

Da Fenassojaf, Caroline P. Colombo